About

Fora de Padrão




Esse poema é dos que mais gosto,acho que a rima ai ficou bem legal, num papo que gosto de tratar que é o erotismo, com as ideias de contra-mão, poema-erótico-negro. Seila acho que tem muito de rap, uma cara de lirismo bem louca também. Ontem no ccj junto com os amigos do literatura suburbana na humildade declamei uns poemas, muito obrigado pela oportunidade Israel, meu amigo Mamuti, sem palavras meu chapa. o publico atencioso e carinhoso sem palavras, o da hora que o Preto Win, braço direito, registrou o momento assisti que ficamos lisonjeado
é nois




Fora de padrão

To nem vendo celulite
Sonho corpo menos light
Se namoro é com apetite
Sem um ser que dite
Uma mulher sem ser diet

Milenar são nossos hits
(nada a ver com face book)
Atravessam megabyte
Temos tudo a ver estamos kits
E pra eles: feios, vadio e biscate

É a gente que herda
Um padrão pálido que arde
Acumulamos a pedra
Que nos taca o covarde

É rap nosso bit
Em sintonia com as biat
Mesmo que ninguém cite
Nem paparazzo nem novela nem site

Ei pretinha encorpa
Vitalidade não pouca
Na cintura nade de Europa
Um seio que não caiba na boca

Tire a voz do mute
Grite em toda parte
A cena é o Black Booty
Eu nem ai pras withe


Só assim o dedo flagra
Uma mulher não fria
Quero coxa menos magra
E estou picas, pra estria

Uma africana me furte
Menos luz mais arte
O que meu sexo Curte
A faísca e a pólvora no blackout

Não fere o corpo nem por Deus
Nem nas tretas que peleje
Vou colar com os meus
Sempre uma dama do Gêge

Teu lábio que visite
O mais escuro de minha parte
Sei que é bom põe no repeat
Que meu eu sedento contigo reparte

Nossos corpos que se revoltem
Teus beijos que me assaltem
Se não duros os seios os soltem
E o orgasmo se quentes que saltem

Pra eterna ou qualquer foda
Uma Pique o meu o cabelo
Minha cara é uma cara de modelo
Uma modelo eternizando outra moda

Fora de padrão e a milhão o watt
Corpos negros entre curto e circuito
Seio gordo, beijo e mordo pela night
Não é revolta é amor é amor e muito

4 Responses so far.

  1. ooo que pena que não gravaram os dois poemas, tava da hora, salve mestrão!

  2. Ana Paula says:

    Adorei o poema, muito bom!! beijos

  3. Erotismo, libido e o que há de íssimo me completa, me afoga, me devora o íntimo.

  4. Poeta, sou tua fã daqui até a eternidade.
    Karla da Silva

Leave a Reply